Pular para o conteúdo principal

Revista

Revista Palhaçaria Feminina - 1ª Edição


No ano de 2009 fui convidada para participar do Esse Monte de Mulher Palhaça, encontro de comicidade feminina organizado pelas Marias da Graça no Rio de Janeiro. Este foi o meu primeiro contato com a questão de gênero ligada a palhaçaria. E quando tive consciência da importância de ser uma mulher palhaça, do significado que a união destas duas palavras poderia gerar, logo pensei em fazer algo para materializar esta minha descoberta e foi então que surgiu a ideia da criação do Blog das Mulheres Palhaças, reunindo as palhaças que eu havia conhecido no Rio de Janeiro e mais palhaças que eu já conhecia. Os contatos na sua maioria foram realizados via internet e hoje o blog conta com 137 seguidores e 130 palhaças brasileiras cadastradas.
No entanto, descobrir, conhecer, reunir, cadastrar, divulgar a existência e o trabalho destas palhaças, não bastava. Era preciso algo que fosse um pouco, além disso, e este além poderia ser simplesmente a alegria e o encantamento de se ver numa publicação, poder mostrá-la com orgulho do seu ofício e ver as palhaças reunidas e se sentir parte do todo, potencializando assim o seu próprio ofício e então ter a sensação de que se está no caminho certo.
Foi a partir desta motivação que comecei organizar a publicação da revista, que surge como uma colcha de retalhos a montar um mosaico de imagens, depoimentos, memórias e experiências significativas para as palhaças que nela desfilam.
O intuito da revista é servir como mais um instrumento de apoderamento das mulheres palhaças do Brasil juntamente com a rede de Festivais e Encontros Internacionais de Palhaças no país que tem fortalecido muito a produção de artistas cômicas do Brasil e exterior. Cada palhaça reflete nos textos relatados, suas ânsias, seus desejos, suas vitórias e sua construção de forma muito particular.
A primeira edição com muitas fotos e alguns textos, caracteriza-se por ser uma mostra do trabalho das palhaças representantes de todas as regiões do país. Para as próximas edições pretendemos aprofundar nosso pensamento sobre o humor, sobre o humano, sobre o feminino e o masculino fluindo em cada uma de nós, refletir sobre as nossas influências, nossos estilos, nossos espaços de atuação, nossos propósitos, nossos questionamentos e nossa sensibilidade.
A revista Palhaçaria Feminina com 36 páginas coloridas e com 90 palhaças, foi lançada primeiramente em Florianópolis no dia 13 de setembro, em parceria com o SESC Prainha na Programação do Festival SESC Palco Giratório e na seqüência foi lançada no Recife no I Festival Internacional de Palhaças do Recife - PalhaçAria e em Brasília no III Encontro de Mulheres Palhaças de Brasília em outubro.
Em Chapecó a Revista foi lançada no Projeto Aldeia do SESC no dia 19 de outubro, juntamente com ações artísticas reunindo as palhaças da cidade, realizando o I Encontro de Palhaças de Chapecó.
A revista foi idealizada e realizada por mim, Michelle Silveira e contou com o apoio do Supermercado Celeiro da cidade de Chapecó. Para as próximas edições pretendemos conseguir subsídios para sua realização via projetos de fomento a produção de bibliografias na área.
Interessados em adquirir a revista enviar email para: miche.fix@hotmail.com - Valor: R$ 10,00



 Revista Palhaçaria Feminina - 2ª Edição



2013 é o segundo ano em que a Revista Palhaçaria Feminina ganha forma. Com uma temática clara e norteadora das escritas, ou mesmo como uma inspiração para escrever sobre suas histórias, experiências e descobertas, a Revista vem abordar os espaços de atuação das mulheres palhaças do Brasil. 
Somos conhecedores do quanto este movimento é recente, mas forte e que vem se consolidando a cada ano, com iniciativas que se unem no movimento de valorização, qualificação e profissionalização das mulheres palhaças.

O intuito da segunda edição desta revista é revelar os espaços que estão sendo ocupados pela palhaçaria feminina, apresentando a forma de ocupação, atuação, dificuldades, conquistas e desafios que ainda tecemos. Ao receber e ler os textos encaminhados, tive a certeza de que já na segunda edição da revista nos encaminhamos para a solidificação de mais um projeto importante. A intenção de criar esta revista, foi num primeiro momento mostrar as palhaças do Brasil, apresentá-las, trazê-las a público e registrar sua existência. Feito isso, entendemos a necessidade de criar espaços de discussões de temáticas que nos dizem respeito e não só a nós mulheres, mas a todos os interessados pela arte da palhaçaria em geral. Os textos encaminhados para esta edição demonstram o quanto as palhaças estão se tornando cada vez mais atuantes, tanto na produção artística de espetáculos, cenas e projetos, como também em iniciativas que visem a sustentabilidade de seus grupos e demais artistas da linguagem, assim como também estão pensando e produzindo textos que registrem, discutam, questionem e valorizem a comicidade feminina.

Nas próximas páginas você vai se encontrar com a sensibilidade feminina atuando em hospitais deste país, contribuindo junto com seus companheiros de cena para a humanização e resignificação destes espaços, descobrindo como abordar assuntos delicados como a dor e a morte, de forma poética, clownesca e graciosa.

Ao virar a página, você vai se encantar com palhaças brincantes, atuando nas ruas deste país, abrindo rodas nas praças, estabelecendo contato direto com o público, ombro a ombro. Mais adiante surgirão palhaças saídas do meio das florestas, “aparições” que preparam a travessia em pequenas canoas e chegam ao seu destino, o riso, a brincadeira coletiva, o encantamento dos moradores do Amazonas. Algumas palhaças não pedirão permissão para emocioná-lo, mas certamente o farão no momento em que frente a frente com a grade que de um lado aprisiona e do outro liberta, vão lhe contar uma história de encontros, de risos, de mulheres no cárcere.

As palhaças que até então lutaram para protagonizar o picadeiro, aqui desfilam sua graciosidade e experiência adquiridas com os grandes mestres da palhaçaria clássica, apresentando suas propostas de integrar o cômico feminino a visão tradicional do circo.

Nas páginas seguintes, e não necessariamente nesta ordem, muitos serão os encontros revelados, palhaças atuantes em festivais, lutando pela sustentabilidade das mulheres e buscando recursos para promover bons encontros.

Que esta leitura possa ser produtiva, fruto de conhecimento, reflexão e inspiração para os leitores, homens, mulheres, artistas e a quem quer que seja um admirador da comicidade em geral.
 



Valores: 

a) 1ª Edição  - R$ 10,00
b) 2ª Edição - R$ 20,00 
c) Taxa de envio - R$ 5,00



Como adquirir? 

1) Envie um email para este endereço: mulherespalhacas@gmail.com;

2) Solicite o número de exemplares desejado;

3) O email será respondido com o número da conta onde o valor deve ser depositado;
4) Depois do depósito encaminhe por email cópia do comprovante de depósito;
5) Em breve será postado via correio seus exemplares da revista.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

REVISTA PALHAÇARIA FEMININA 4a Edição a caminho!!!!!!

Olá amigas palhaças, 
é com muita alegria que venho informar que nosso projeto para a 4a. Edição da Revista Palhaçaria Feminina - Registros e Reflexões sobre a Palhaçaria feita por mulheres no Brasil, foi contemplado no EDITAL DE CONCURSO 032/2017 PARA FOMENTO E CIRCULAÇÃO DAS LINGUAGENS ARTÍSTICAS DO MUNICÍPIO DE CHAPECÓ.
Agora seguimos o processo de documentação e em breve iniciaremos a confecção da REVISTA! 
Agradeço de coração a todas as artistas, palhaças e equipe que me ajudaram no processo de escrita do Projeto. Agradeço a Sarah Monteath que me ajudou na escrita do Projeto de Pesquisa! 
Muito feliz com essa possibilidade de darmos continuidade a esse projeto tão importante para nós! 
Agradecida!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!


A IMPORTÂNCIA DOS FESTIVAIS

Os encontros são importantes por serem encontros. Redundâncias de momentos únicos. Um encontro nunca é igual ao outro, por isso é um encontro.  Os festivais relembram-nos que não estamos sós e que podemos e devemos nos nutrir umas às outras. Não sei ao certo se hoje mais que nunca sermos mulheres, artistas e cidadãs é um ato de resistência, logo um posicionamento político.  E para desfazer eventuais mal-entendidos, um posicionamento político não é necessariamente um posicionamento partidário. Os partidos dividem-nos, partem-nos e urge tranquilizarmo-nos e olharmos com cooperação uns para os outros, umas para as outras. Aí está o fortalecimento.  O que nos une? O que nos toca a todos o coração? Bom, lá terei de cair num grande clichê o Amoooreeeeee!  Mas quem é esse Amor? É antes de tudo sermos seres plenos e falíveis, caminharmos com a dignidade da nossa vulnerabilidade. A vulnerabilidade é uma força e não uma fragilidade. Vulnerabilidade é prontidão para aceitar as circunstâncias e vicis…

Cadastramento de Palhaças Brasileiras

Queridas Palhaças que ainda não responderam as perguntas do cadastramento, por favor, se quiserem, aqui vai os tópicos:
estes dados vão para o blog e servirão para que possamos conhecer melhor todas vocês e mais...


Nome:
Data de nascimento:
Formação:
Nome de Palhaça:
Tempo em que é palhaça:
Cidade em que atua:
Estado em que atua:
Email:
Blog:
Site:


 E informações extras que você achar interessante.